nota por nota

                                                                                    É 

                                                        que

         eu 

                             preciso 

   de

                                                                  sua 

                                               poesia            

                para

                                                                        formar

                                        uma

                                                                                               escada

                                                                                                        correta

                                                          concreta

                        e

                                          me

                                                                                             perder

  em

                                                          ti.

nordestiana, escadaria.

saudade descomunal II

O teu beijo permanece quieto no meu peito, as tuas mãos ainda sinto arrepiar-me, o teu cheiro está impregnado em minha roupa, teu olhar claro e cheio de mistérios confundem minha sabedoria de guerra, teu amor me compõe, sobrepõem, teu toque me desfaz em pedaços como estrelas.

Esta saudade descomunal nós mata, arrisco-me a te imaginar percebo que perco todo o meu tempo tendo uma imagem sua, somente para refletir cada parte sua perderia meu dia, os teus olhos são o que mais gosto de admirar pois tom verdeado me encanta todas as manhãs.

Saudade descomunal parte II, sinto um vazio sem as tuas poesias, teu sorriso que vejo cada vez mais pouco, um belo sonho me faz te ter no meio deste caos que a saudade me faz sentir, um vazio ruim, você vem e me leva para os teus rios verdes e tua boca rosada me enfeitiça todo o sempre.

Há saudades suportáveis, a nossa matou-nos aos poucos, tenho-te comigo, tenha-me contigo.

nordestiana, na saudade te encontro.

Hey now, now

Hey now, do lado da minha cama há cartas para você, queimadas, posso sentir e ouvir os batimentos do teu corpo, posso sentir os instintos por você, a cada piscadela, na nossa gramática o errado e o certo, nas curvas dos teus olhos, por dentro de suas mãos.

E aí estou ao lado da minha cama, te esperando querido, hey now

O meu bem e você sabe que é assustador, é como um raio que nas extremidades dos nossos corpos se encontra com o desejo de permanecer como moléculas juntas, unidos. 

Hey now, hey now.

E aí estou ao lado da minha cama, com nossas cartas, sentindo o cheiro do teu perfume, imaginando o teu rosto coberto pela névoa. Hey now, venha e toma-me pelas mãos. Deixe-me degustar tua boca.

nordestiana, e aí.

nota por nota

O coração segue gelado, como as extremidades do corpo. Pelos lados olho os estranhos códigos, fecho meus olhos negros em um só toque, em um só som, escuto meu coração meio em vão. E eu me desencontro, me desculpando pela manhã tão quente, e mesmo quente não amolece o coração. Ele segue gelado, com pontos ainda. Ainda existe uma dor entre você e eu, sumir não faz muito seu estilo e deixar-me aqui talvez, nunca se sabe.

O coração segue gelado, mas quem se importa? Você ou eu? 

eu.

nordestiana.

nota sobre qualquer coisa

Não havia algo que pudesse escrever, quando estamos em situações piores a poesia some por dentro de nós, encontra abrigo e parece dali jamais sair. O desejo de escrever flui nas veias e a saudade bate quando leio algum poema pois a necessidade de por suas emoções para fora é maior.

nordestiana.